Follow:
Filmes & Séries & Animes

Eu vi: How I Met Your Mother – resenha

how-i-met-your-mother-resenha-cenasdumaraparigacomplicada

Olá meus amores! Para quem não sabe, eu acabei de ver a série How I Met Your Mother, que chegou a passar na Fox Life com o nome “Foi Assim que Aconteceu”, há umas semanas atrás, porém, fiquei tão perplexa com o final que não sabia sequer se tinha gostado do mesmo ou não.

O sitcom foca em Ted (Josh Radnor), um arquiteto que tenta incansavelmente conhecer a sua alma gémea. A história é-nos dada por Ted enquanto ele conta aos seus filhos, em 2030, como conheceu a mãe deles. Sendo assim, ele volta no tempo até 2005, aproveitando para falar também da jornada dos seus melhores amigos: Marshall Eriksen (Jason Segel), Lily Aldrin (Alyson Hannigan), Robin Scherbatsky (Cobie Smulders) e Barney Stinson (Neil Patrick Harris).

Se não me engano, eu vi esta série em cerca de uma, talvez duas semanas, pois fiquei completamente viciada e, talvez por essa razão (de ter visto a série toda de uma vez) não senti que a série estagnar em nenhum momento, como se lê em muitas críticas.

how-i-met-your-mother-resenha-cenasdumaraparigacomplicadaAo longo das temporadas, a série é recheada de piadas e peripécias que fazem a série fluir naturalmente. Vemos o Ted a falhar de forma constante no que se refere à sua vida amorosa, mas tentando ser sempre manter-se positivo. Vemos a evolução da épica batalha interior entre a carreira e o amor da Robin. Rimos muito com o nosso eterno Barney stinson, pela sua maneira de ser e pensar, só por ser quem é. E, por fim, vemos o enorme amor entre a Lily e o Marshall evoluir sempre mais e mais e a enfrentarem não só problemas conjugais como também individuais. Os cinco fazem um grupo de amizade maravilhoso e como se não fosse suficiente as coisas que lhes acontecem individualmente, também existem as confusões dentro do próprio grupo, enriquecendo ainda mais a série.

Algo que também gostei em How I Met Your Mother foi os seus momentos dramáticos, que não foram muitos, mas quando existiam foram muito bem concretizados, com uma ótima representação pela parte dos atores e na dosagem perfeita de drama.

(A partir daqui contém spoilers!)

Focando no final da série, confesso que não gostei que toda a última temporada se passasse no fim de semana do casamento do Barney com a Robin, não por ter achado que ficou mal produzido, simplesmente gostava de ter visto o Ted com a mãe (que se chamava Tracy) dos filhos dele em mais contextos, sem ser só em flashbacks. Mas mesmo acontecendo tudo em apenas um fim de semana, acho que foi muito bem conseguido, pois foram episódios cheios de momentos hilariantes, de histórias paralelas e de muuuuuitas revelações.

Toda a temporada serviu para vermos que a Robin e o Barney tinham sido feitos um para o outro e após uma catrefada de episódios em que vimos os dois ultrapassarem juntos os obstáculos que se lhes opunham, chegamos ao final e eles divorciam-se passado 3 anos e nem sequer dão enfase ao divórcio deles, parece que foi uma coisa tipo “Olha, aconteceu!”. Não achei que fizesse sentido, já que a razão da separação foi o trabalho de Robin, mas os telespectadores passaram as outras temporadas da série a vê-la travar essa batalha carreira/amor e na última relação que ela teve, escolheu o amor — foi com Don, o seu colega de trabalho, que acabou por aceitar a oferta de emprego em Chicago, depois de Robin ter recusado a mesma proposta para ficar com Don. Por essa altura, o trabalho dela não deveria ser a razão do divórcio deles.

how-i-met-your-mother-resenha-cenasdumaraparigacomplicadaMas continuemos. Adorei o facto de toda a gente ter conhecido, e adorado, a Mãe antes do Ted. Sem falar que, ao fazerem isso, os realizadores proporcionaram-nos a oportunidade de conhecer a Tracy e ver as enormes semelhanças entre ela e o Ted. Eles eram perfeitos um para o outro. A partir daí, a história avança rápido, não dando para saborear o que acontece com as personagens ao longo dos anos, dando, no entanto, para sentir tristeza ao ver aquele grupo de amigos perfeito desfazer-se aos poucos.

Contudo, e porque nem tudo é perfeito, Tracy morre alguns anos depois, devido a uma doença. Como é óbvio, não queria que ela tivesse morrido, mas aceitei bem… Porém, depois de seis, ou sete anos, o Ted vai atrás da Robin AGAIN! Não curti, porque mesmo ele tendo dito na narração que foram os melhores anos da vida dele e que amou a Tracy como nunca amou ninguém, aquele final faz toda a gente concluir que, na realidade, ele pode ter gostado muito dela, mas nunca esqueceu verdadeiramente a Robin e nunca a deixou realmente partir, como tínhamos concluído quando vimos aquela ilusão do Ted durante o fim de semana do casamento, em que a Robin começa a voar afastando dele. Como referiram no Twitter, a série não foi acerca do guarda-chuva amarelo, mas sim sobre a trompa azul!

Não me importaria minimamente que eles tivessem ficado juntos, se os realizadores não nos tivessem transmitido a mensagem, durante 9 temporadas, que a mãe é que seria o grande amor da vida do Ted e que a oportunidade de existir um Ted-Robin já tinha passado há muito tempo. E se, na última temporada, não se visse que a Robin e o Barney eram feitos um para o outro.

Quanto ao final do Barney… Claro que o ideal para mim era ele ter acabado com a Robin, mas como não se pode ter tudo, o final que teve foi perfeito. Afinal, a sua personagem evolui ao longo das nove temporadas, ele teve um ou dois relacionamentos sérios e foi casado durante 3 anos. Todos esses acontecimentos tinham que afetar de algum modo a sua personalidade. Não me acredito que ele tivesse recebido a filha da mesma forma que o fez, se tivesse acontecido na primeira temporada, onde ele ainda era imaturo. Mas tal como ele disse, se a relação com a Robin não tinha resultado, não ia resultar com mais ninguém, para além disso, também chegou a dizer, certa vez, que não queria acabar sozinho os seus dias. O surgimento da filha, foi a solução perfeita para o Barney, foi algo que definitivamente o faria crescer e assentar e não iria acabar solitário.


Conclusão, apesar do final não ter agradado a muitos, é uma série que vale mesmo a pena ver, aconselho vivamente, até porque o que interessa é a jornada, não é verdade? (:

Espero que tenham gostado e desculpem lá pelo post enorme!

Até à próxima ♥

Comentários
Previous Post Next Post

♥ Vejam também ♥

4 Comments

  • Reply Adriana Dias

    Fiquei bastante arrasada com esse final. Também conclui que o Ted nao amou a Tracy pois nunca esqueceu Robin, e o que estava explícito é que ele encontraria o amor da vida dele. Nao consigo superar essa série haha to com um vazio enorme por causa da morte dela.
    Adorei o post! Beijo

    13 Julho, 2016 at 6:03
    • Catarina
      Reply Catarina

      És tu e eu, não há como superar. Foi sem dúvida das séries que mais gostei!
      Obrigada e beijinhos <3

      20 Julho, 2016 at 17:38
  • Reply João Alves

    Das minhas Favoritas também :)
    Mais um bom artigo !!

    15 Agosto, 2015 at 0:27
  • Leave a Reply