Follow:
    Livros & Textos, Projetos & Desafios

    Sou ou não sou?

    sou-ou-nao-cenasdumaraparigacomplicadaJá tanto falei de como eu sou, ou do que acho ser, mas nunca reflecti sobre o que as pessoas pensam de mim ou do que eu acho que elas pensam.

    Quando me conhecem as pessoas vêem-me por vezes como um alguém muito alegre, cheia de energia e “muito fofa”, talvez tão fofa que chegam-me a achar infantil. Não que alguma vez me tenham chamado de infantil, mas dá para perceber pela maneira das pessoas. Mas não, eu não acho que seja infantil, porém faço questão de manter a criança bem viva dentro mim. Ver a vida com cores extra e pelos olhos inocentes de uma criança é algo que ninguém deveria perder. A vida é demasiado cinzenta e triste se assim não for.

    Quando me conhecem as pessoas pensam que eu sou uma pessoa sempre com a cabeça no ar, distraída e “coitada, não sabe o que está a fazer“. Até hoje ainda não percebi se isso é bom ou é mau, pois, sendo que elas pensam isso de mim, não vão esperar grandes responsabilidades da minha parte, então estou à-vontade para realmente não fazer muito. Porém, se pensam isso, que é nada, de ti, é como se automaticamente admitissem que és um fracasso. E isso ninguém gosta. Então aprendi a gerir o meu nível de responsabilidade de acordo com o meu nível de interesse, sendo que tenho contextos em que as pessoas que acham muito exemplar, enquanto que noutros… nem por isso.

    Quando me conhecem as pessoas pensam que justamente por eu “estar” sempre distraída, não sei o que é que acontece à minha volta. Esta é definitivamente a ideia mais errada que têm de mim. A não ser que eu realmente, realmente, realmente, realmente não esteja interessada, eu repito, realmente não esteja interessada, podem apostar que vocês olham para mim e eu estou no mundo da lua a ouvir a minha música, a mexer no telemóvel ou a ver a paisagem, mas eu presto atenção em todos os detalhes, detalhes às vezes tão pequenos que vocês não imaginam. E se alguma coisa me intriga, eu guardo aquela informação na memória nem que seja por meses até esclarecer a minha curiosidade. E isso é tão bom, porque depois as pessoas agem de uma forma contigo pensando que tu sabes apenas o que elas te dizem, mas tu sabes tão mais sobre elas e elas nem fazem ideia.

    Quando as pessoas me conhecem pensam que eu sou uma pessoa normal e portanto conheço minimamente a minha cidade e sei andar nela, tendo em conta que tenho quase 21 anos. Mas logo eu “faço questão” de lhes mostrar que sou a pessoa com o menor sentido de orientação que já conheceram! Quer dizer, mentira. Eu tenho algum sentido de orientação, porém, tenho uma péssima memória para fixar caminhos e locais e por isso praticamente nunca sei onde estou, não importa quantas vezes tenha passado por lá.

    Quando as pessoas me conhecem, provavelmente acham-me um pouco tímida e até calada, mas simpática. E acho que até é uma visão relativamente correta de mim, pelo menos durante os primeiros cinco minutos de conversa, mas cedo me começo a rir e a falar sem parar. Uma das minhas maiores virtudes é realmente ser simpática e tenho muito orgulho disso. É preciso estar de muuuuuuuito mau humor ou muuuuuito chateada para não ser simpática. Ou basta também serem antipáticos comigo. Simpatia é tão gratuita como o ódio, não custa espalhá-la pelo mundo.

    Quando as pessoas me conhecem, dependendo do contexto, acham-me uma pessoa relativamente confiante, mas independentemente do contexto, as pessoas sempre estão erradas. Em qualquer contexto social, suponho que as pessoas me achem normal. E teriam razão, se o normal fosse uma pessoa com uma auto-estima alta, que acredita e tem confiança em si mesma. Mas não, dizeres que te achas bonita é estares a ser convencida. Já se tiver sub avaliação explícita, as pessoas vêem que estou insegura e por isso acham-me insegura. Estão erradas, porque eu não fico insegura, eu fico realmente extremamente insegura. Insegura e nervosa a um ponto ridículo em como praticamente nunca vi ninguém. Fico tão nervosa que chego ao ponto de deixar as outras pessoas nervosas. E isto é verdade porque desde sempre as pessoas disseram-me isto.

    Quando as pessoas me conhecem, não têm noção de algumas manias minhas, mas eventualmente descobrem que eu não suporto que mandem lixo para o chão à minha frente ou que realmente não gosto de pés e que por mim os humanos andavam ser terem tais membros. É daquelas ideias malucas que todos têm, tenho um desconto ᕙ(⇀‸↼‶)ᕗ

    E vocês, que mais ideias têm de mim? Respondam nos comentários e, já agora, digam-me que ideias acham que as pessoas têm de vocês que não estão assim tão corretas! ♥

    Este post faz parte do projeto 16 on 16. Cliquem na imagem para saberem mais sobre o projeto e as outras meninas que participam! projeto-16-on-16-1-cenasdumaraparigacomplicada

    Comentários
    Livros & Textos

    Amizades não dependem de ocasiões

    amizades-nao-dependem-de-ocasioes-cenasdumaraparigacomplicadaDesde que me conheço por gente ouço aquelas frases que já toda a gente conhece e que vocês estão fartos de ouvir de “os amigos verdadeiros serem aqueles que nos chamam à razão e não os que andam sempre com falinhas mansas”. Bem como “são aqueles que estão presentes não só nos bons momentos, como também nos maus”.

    Sempre acreditei que as amizades eram fáceis de se classificar. Mas nem todas. Temos a que realmente são verdadeiras, temos as falsas e temos aquelas que não sendo falsas, também não são tão verdadeiras assim. E o que fazer com essas? As falsas cortam-se, as verdadeiras mantém-se. E as outras? Claro está que, se as coisas já não estavam fáceis até aqui, ainda se adiciona o facto de gostarmos dessas pessoas.

    Como uma pessoa sonhadora que sou, sempre acreditei que sabia identificar essas pessoas e, por isso, que estava rodeada de pessoas que gostavam de mim e me queriam bem, mas, principalmente, que se preocupavam comigo… Pobre de mim, bem que morria e as pessoas nem desconfiavam.

    Tive uma situação “recentemente” que serviu-me bem para ver aqueles não tão awesome sauce friends.

    Fui operada e, por essa razão, passei uma semana em casa, sem ir a lado algum. E sabem quem é que me mandou mensagem interessado em saber se eu estava bem? As pessoas que eu menos esperava, aquelas que eu não conheço há tanto tempo assim e com quem nem convivo diariamente. Claro que houve excepções.

    Sabem como é que os meus verdadeiros amigos souberam se eu estava bem ou não? Quando eu voltei para a minha rotina diária, mais de uma semana depois da operação e me perguntaram, quando me encontraram, como é que eu estava (isto aqueles que sequer perguntaram).

    Amigos, já vieram tarde…

    Sabem o mais engraçado de tudo? É que esses amigos nem se vão dar ao trabalho de ler isto.

    — Catarina Gomes

    Para estarem sempre a par das novidades, podem seguir-me pelo Facebook, Instagram, Twitter, Snapchat (catarinagomes77) ou mesmo Google+

    Comentários
    Filmes & Séries & Animes

    Eu vi: Leão da Estrela (2015) – Apoiem o que é vosso!

    eu-vi-leao-da-estrela-2015-apoiem-o-que-e-vosso-cenasdumaraparigacomplicada

    Olá amiguinhos!

    Antes começar, tenho só de dizer que já estamos em 2016 e este é o primeiro post do ano aqui no Cenas Duma Rapariga Complicada. Espero que tenham um fantástico ano com muitas conquistas e felicidades <3 Aproveito também para dizer que a vencedora do sorteio do pack Avon foi a Andreia Sousa, com quem já entrei em contacto e também já obtive resposta ^^

    Agora sim, comecemos! Pois é, no outro dia vi, no cinema e tudo, o filme “O Leão da Estrela”, um remake da comédia portuguesa de 1947. Pelo que li do filme original está claro que alguns pontos da história foram alterados na nova versão.

    Achei o filme muito engraçado! Não, vocês não estão a perceber. Achei engraçado ao ponto de não se estar ninguém a rir daquela cena do filme e estar eu ainda a rir-me sozinha da cena anterior. Tendo em consideração que eu não sou uma pessoa que se ri alto com nenhum filme, nem vídeo, nem nada, podem imaginar o quanto divertido aquilo foi, certo?

    Achei o argumento bem diferente e original, até podemos dizer que tinha falhas, mas toda a ideia principal era tão cómica que não tinha como ser de outra forma. A representação estava excelente, a única que não gostei tanto foi a da Dânia Neto. Eu sei que a personagem dela era muito espalhafatosa, mas acho que ela teria conseguido passar bem essa imagem ser ter atingido o extremo. Mas que fique ressaltado que eu adoro a Dânia Neto e acho que ela é uma atriz fantástica e muito talentosa.

    Já sei que terei de ver também “O Pátio das Cantigas”, que saiu anteriormente, também em 2015, e ainda verei “A Canção de Lisboa”, que estreia este ano. Juntos formam uma trilogia de homenagem às comédias portuguesas dos anos 30 e 40.

    TRAILER

    SINOPSE

    Para além da família, que sempre foi a sua prioridade, Anastácio é fanático por futebol. A sua equipa de eleição são os Leões de Alcochete, um clube de bairro que pode regressar à velha glória se conseguir uma vitória em Barrancos do Inferno, nos confins do Alentejo. Este é um jogo que Anastácio não pode, de modo algum, perder. Porém, a viagem para assistir à partida vai ser uma soma de contratempos inesperados que quase o levará à loucura…

    Elenco: Miguel Guilherme, Sara Matos, Dânia Neto, Manuela Couto, André Nunes, Aldo Lima
    Realizador: Leonel Viera
    Género: Comédia
    Duração: 110 min.

    Agora venham cá… Vamos falar de um assunto sério!

    Praticamente por qualquer tema, por qualquer assunto, o nosso país nunca é bom o suficiente, não é mesmo? Porque os nossos programas não são tão bons como os americanos (se bem que grande parte é mesmo a verão nacional do programa americano, mas é dos originais que estou a falar), porque as nossas músicas não são tão boas como as americanas, porque os nossos filmes não são tão bons como os de Hollywood, nem os nossos escritores, cantores, atletas, bloggers, artistas, nada. Nada é tão bom como as coisas de outro país.

    As pessoas querem que o seu país seja igualmente bom em tudo relativamente aos outros, mas quando têm oportunidade de ajudar a sua cultura a crescer, os seus artistas, os seus atletas, ou seus tudo, em vez de ajudarem, só mandam abaixo.

    Nós não somos assim tão maus. Aliás, sabiam que temos o melhor jogador do mundo, o Cristiano Ronaldo? Claro que sim, estamos a falar de futebol, desculpem, deixem-me descer um pouco mais. Sabiam que os campeões europeus de Judo e de Triplo Salto são ambos portugueses, a Telma Monteiro e o Nélson Évora, respetivamente? Esperem, melhor ainda! Sabiam que o atleta mais medalhado do mundo é português? Pois é, o seu nome é Lenine Cunha, é um atleta paralímpico e recorreu às redes sociais (pedindo também divulgação a alguns sites como o Tá Bonito) para angariar fundos de forma a continuar a bem representar Portugal em competições.

    Nós não somos assim tão maus e visto que distribuir simpatia é tão gratuito como distribuir desdém, porque é que não apoiam mais as causas nacionais?

    Os primeiros a dizer que o cinema português devia ser melhor, são os primeiros a não dar abertura a que esse mercado cresça e melhore. São os primeiros a espalhar uma má palavra dos filmes sem sequer os terem visto. Claro que nada contra quem viu e não gostou, cada um tem os seus gostos e eu também já vi um filme português anteriormente que não gostei minimamente. Mas não é por ser português que é mau. Ou nunca viram um filme de Hollywood que fosse mau, um único que fosse?

    E o mesmo vai para a música e para os escritores. Temos tão bons escritores portugueses e os únicos que conhecemos, se tanto, são aqueles cujos livros somos obrigados a ler nas aulas da escola. E tudo bem, quem não gosta de ler livros não lê, quem prefere livros do Nicholas Sparks (que são muito bons, simplesmente foi o primeiro nome que me lembrei!) lê, sem problema. Porém, não digam às pessoas “esse livro é português? Não deve valer nada!” se vocês não sabem. Defendam o que é vosso, defendam a cultura do vosso país e ajudem a melhorá-la com críticas. Sim, com críticas, mas críticas construtivas e não críticas mesquinhas oriundas do vosso preconceito.

    Se acham que somos maus, havemos de melhorar. Nem Roma se fez num dia e não foi por isso que a pararam de construir ou a deitaram abaixo.

    Espero que tenham gostado, tinha mesmo que fazer este desabafo. E vocês? Já viram este filme ou “O Pátio das Cantigas”? O que acharam? Contem-me tudo nos comentários \o/

    Até à próxima ♥

    Para estarem sempre a par das novidades, podem seguir-me pelo Facebook, Instagram, Twitter, Snapchat (catarinagomes77) ou mesmo Google+

    Comentários
    Comportamento & Cotidiano, Projetos & Desafios

    Retrospectiva de 2015 e Metas para 2016

    retrospectiva-de-2015-e-metas-para-2016-cenasdumaraparigacomplicadaOlá pessoas ♥

    Hoje voltei num registo mais pessoal (como se não fosse sempre…) para fazer uma retrospectiva de 2015 e contar-vos as minhas metas para 2016.

    Retrospectiva de 2015

    Posso dizer que as minhas metas para este ano que está a acabar (podem ver neste post aqui!) foram razoavelmente cumpridas e algumas coisas foram além do que eu esperava. Neste ano eu comprei o domínio e alojamento do meu blog, também consegui comprar uma câmara semiprofissional (Nikon D3100), coisa que não estava à espera. E agora, mesmo no finalzinho do ano, consegui comprar a lente 50 mm. Comecei também não só a usar mais imagens no blog, como também a maioria são imagens da minha autoria. As que não são tiro de sites livres de direitos autorais, disse assim adeus aos tios Google e We Heart It. Estou realmente feliz e orgulhosa de mim \o/

    A nível pessoal, aí já é diferente. O meu humor muda muito rápido, as minhas ideias também, razão pela qual estou-me a dar muito mal com o 101 Coisas em 1001 Dias (já que é um desafio onde definimos as metas a realizar num prazo de certa de 2 anos e 9 meses). A maioria dos pontos de lá deixaram de fazer sentido para mim. Mas em específico às metas de 2015, acho que comecei a organizar apenas um pouco melhor o meu tempo e só agora ao chegar ao final do ano. O que sinto mais pena de não ter feito foi de começar a escrever uma história. Mas pretendo mudar isso. O que me leva para:

    As minhas metas para 2016

    Em poucas palavras, posso-vos dizer que neste ano que vem quero muito, muito, muito, entrar em Jornalismo, continuar a trabalhar onde estou e aprender a organizar-me melhor. Quero começar a fazer exercício, melhorar mais o meu inglês e a escrever mais fora do contexto do blog e da faculdade.

    Em relação ao blog, quero fazê-lo crescer, re(começar) a fazer vídeos para o canal, como complemento, fazer parcerias e disponibilizar-vos umas coisas bonitinhas para download. Mas não vou adiantar nada para já ^^

    Criei também o Minuto Descomplicado, projeto fotográfico onde eu também irei participar, mas pensado, principalmente, para vocês <3 (Podem ver já o mês de Janeiro aqui!)

    Pode parecer cliché o que vou dizer, mas o que me falta dizer sobre 2016 é que espero ter muita saúde, ser muito feliz com os meus amigos, com a minha família, continuar a divertir-me com o meu blog e ter-vos comigo sempre desse lado. Obrigada por estarem desse lado! ♥ E é justamente isso também que quero agradecer. Independentemente das coisas más de 2015, eu sou muito feliz e só tenho a agradecer por tudo!

    E vocês, conseguiram realizar todas as vossas metas? O que esperam para este próximo ano?

    Até à próxima ♥

    Para estarem sempre a par das novidades, podem seguir-me pelo Facebook, Instagram, Twitter, Snapchat (catarinagomes77) ou mesmo Google+

    Comentários
    Fotografia

    Finalmente a lente 50 mm

    finalmente-a-lente-50-mm-cenasdumaraparigacomplicadaOlá amigos! 〜( ̄▽ ̄〜)(〜 ̄▽ ̄)〜

    Para quem não sabe (ou seja, quem não me segue no Twitter, Snapchat <catarinagomes77>, Instagram ou mesmo pela Fanpage — como assim ainda não seguem?), comprei finalmente a querida de todo o mundo, a lente 50mm para a minha Nikon. Dá para perceber rapidamente porque é que toda a gente fala desta lente. Não só fala como gosta, aprova e aconselha! E eu faço exatamente o mesmo.

    Apenas a tenho há uns dias e ainda não tive uma grande oportunidade de a utilizar, mas vocês conhecem-me, claro que já estive a tirar algumas fotos. Tirei fotos até no trabalho. Já estão habituados à minha parvoíce por lá!

    Vou-vos deixar ficar com as fotos, vemo-nos lá em baixo! A única foto que não é tirada com a 50 mm é a da capa do post, o que chega a ser irónico, não?

    finalmente-a-lente-50-mm-cenasdumaraparigacomplicadafinalmente-a-lente-50-mm-cenasdumaraparigacomplicadafinalmente-a-lente-50-mm-cenasdumaraparigacomplicadafinalmente-a-lente-50-mm-cenasdumaraparigacomplicadafinalmente-a-lente-50-mm-cenasdumaraparigacomplicadafinalmente-a-lente-50-mm-cenasdumaraparigacomplicadafinalmente-a-lente-50-mm-cenasdumaraparigacomplicadafinalmente-a-lente-50-mm-cenasdumaraparigacomplicadafinalmente-a-lente-50-mm-cenasdumaraparigacomplicadafinalmente-a-lente-50-mm-cenasdumaraparigacomplicadafinalmente-a-lente-50-mm-cenasdumaraparigacomplicadaE então, o que acharam? Eu sinceramente adorei os resultados! *-*

    Vou tentar participar em projetos fotográficos pelo Instagram, de forma a desenvolver a minha criatividade (quando o tema é fotografia, falta-me muita, apesar de eu gostar!) e assim até utilizar mais e conhecer melhor a minha baby máquina! Podem continuar a ver mais fotos pelo meu Instagram.

    Ainda não tentei gravar nada, porém já percebi que ela não foca automaticamente enquanto grava, a não ser que se carregue no botão de foco ou foque-se manualmente, o que é mau, porque eu realmente pensava que a máquina focava sozinha e contava com isso para fazer vídeos. Mas, oh well, não vou morrer por isso, não é mesmo?

    Digam-me nos comentários se vocês têm esta lente e o que acham dela! Espero-vos lá,

    Até à próxima ♥

    Ps: não se esqueçam do sorteio que está a ocorrer no blog. Ganham um pack de produtos Avon. Saibam mais aqui!

    Comentários